Exposição!

Hoje, dia 19 de Maio de 2010 vem visitar a nossa exposição à sala CL3 a partir do 2º intervalo da manhã e toda a tarde!

Tens ao teu dispor cartazes informativos, jogos interactivos, preparações e sites de interesse para visitares.

Se já tiveres ido, ou estás na exposição deixa aqui o teu comentário : D!

Infertilidade- Doação de oócitos

Neste vídeo, “Alice” relata a sua experiência com a sua infertilidade e o desespero que a levou a receber um oócito de uma dadora, possibilitando o seu sonho de ter filhos.

Também podemos ouvir a informação fornecida pelos profissionais da área, em relação ao sucesso e as características deste tipo de tratamentos.

A importância da vitamina A

A vitamina A desempenha um papel fundamental para a saúde da mãe enquanto está grávida, e do bebé em crescimento, pois reforça o sistema imunitário, favorece o desenvolvimento da pele, cabelos e unhas e previne certos tumores.

A carência desta vitamina em países subdesenvolvidos é responsável por doenças como a cegueira e aumento da mortalidade infantil.

Contudo, estudos recentes apontam para um novo benefício resultante da vitamina A.

Verificou-se que as crianças nascidas de mães que ingeriam quantidades significativas de vitamina A antes, durante e depois da gravidez, possuiam uma melhoria significativa das funções pulmonares em relação às crianças cujas mães ingeriam apenas suplementos beta-caroteno.

Os pulmões destas crianças conseguem absorver mais 40 ml, o que representa um aumento de cerca de 3 por cento da capacidade normal.

A amostra deste estudo foram crianças do Nepal rural, cujas mães receberam aleatoriamente doses de vitamina A ou suplementos de beta-caroteno.

Verificou-se que de facto, as crianças cujas mães tinham ingerido vitamina A durante a gravidez possuíam maior capacidade de inspiração em relação às outras crianças.

Embora esta vantagem se deva sobretudo à dosagem recebida durante a vida uterina, intervenções mais atempadas em comunidades subnutridas podem trazer consequências benéficas a longo prazo.

Contudo, é importante realçar que não se deve aumentar a dosagem desta vitamina acima do recomendado, visto que pode trazer efeitos adversos e reacções negativas com determinadas vacinas.

Realça-se a ainda a importância do amamentar, visto que quanto mais cedo se retira este privilégio ao bebé, alimentando-o com leite não natural, menores serão os benefícios proporcionados pela vitamina A.

Fertilidade e genética

Prevenção de doenças mitocondriais

A Universidade de Newcastle desenvolveu uma técnica inovadora que permite transferir DNA mitocondrial entre duas células humanas.

As mitocôndrias são os organelos celulares responsáveis pelos processos de obtenção de energia por parte da célula. As mitocôndrias possuem um material genético diferente daquele que se encontra no núcleo da célula, o DNA mitocondrial, e que é transmitido apenas pelas mães. Este material genético é constituído por 13 genes produtores de proteínas.

Sabe-se que este DNA , quando sofre mutações, é responsável por determinadas doenças genéticas, como a cegueira, malformações cardíacas, fraqueza muscular, entre outras, que contribuem para uma morte precoce.

A nova técnica desenvolvida, permite agora substituir esses genes mutados.

Esta técnica consiste em remover de um ovo já fertilizado, e que contém o DNA mitocondrial mutado, os pronúcleos que o consituem ( o pronúcleo do oócito II e o pronúcleo do espermatzóide). Estes dois pronúcleos são em seguida implantados noutro ovo fertilizado, mas cujos pronúcleos foram previamente removidos. Desta forma, o ovo tratado possui toda a informação genética dos progenitores e material genético mitocondrial saudável de um dador.

No decorrer das experiências, foram utilizados ovos que não estavam propícios a uma Fertilização In Vitro, como por exemplo, ovos contendo três pronúcleos. Esta técnica vai ainda ser sujeita a novos estudos para garantir a sua viabilidade.

OGMs e a infertilidade

Hoje em dia, deparamo-nos cada vez mais com a realidade dos ornagismos geneticamente modificados que estão presentes naquilo que consumimos. Muitas das vezes nem  nos apercebemos que os estamos a ingerir e por isso torna-se cada vez mais importante descobrir o papel que estes têm na nossa saúde.

Aqui está uma entrevista feita dia 27 de Abril de 2010 na rádio Coast to Coast AM que nos mostra que talvez seja importante as autoridades realizem mais estudos sobre os organismos genéticamente modificados.

Técnicas de Diagnóstico


No Homem

Análises Hormonais  – analisar a quantidade de hormonas produzidas.

Exames Médicos Gerais – despistar causas orgânicas.

Espermograma – analisar a quantidade e qualidade dos espermatozóides presentes no esperma.

Testes genéticos – despistagem de doenças genéticas associadas à produção insuficiente de espermatozóides.

Biopsia Testicular – testar o bom funcionamento e estrutura testicular apropriada.

Análise à urina – permite detectar a presença de microorganismos responsáveis por Infecções Sexualmente Transmissíveis, entre outras.

Na Mulher

Exames Médicos Gerais – despistagem de possíveis causas orgânicas.

Análises hormonais – quantificar a produção de hormonas.

Estudo das trompas de Falópio – averiguar a existência de alguma obstrução.

Ecografia abdominal – permite verificar a estrutura do útero, ovários e a normalidade do ciclo ovárico.

Análises ao Muco Cervical – verificar as propriedades do mesmo, averiguando uma possível acidez excessiva.

Análises à urina – despistagem de Infecções Sexualmente Transmissíveis ou outras.

Testes Genéticos – averiguar a presença de doenças a nível genético que possam interferir na produção hormonal.

Ultra-Som Vaginal – permite identificar anormalidades ováricas ou uterinas.

Biopsia Endometrial – verificar se os pólipos uterinos têm ou não uma origem maligna.

Laparoscopia – pode detectar ou corrigir obstruções nas trompas de Falópio.

Portugal necessita de importar esperma

Como resposta à grande quantidade de casais inférteis tornou-se necessário importar esperma, no entanto, prevê-se a criação de um banco público de gâmetas que deverá ser a solução para este problema.

CNPMA

Dia 30 de Abril de 2010, na III Reunião Anual do CNPMA (Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida), onde esteviram presentes os 26 centros de PMA e a Sociedade Portuguesa de Medicina da Reprodução, foi discutida a possibilidade de criação de um banco público de gâmetas bem como a importação dos mesmos de países como Espanha.

A criação de um serviço público como este passa por proprorcionar as mesmas possibilidades a casais que não podem aceder ao sector privado para obter gâmetas e permitir um maior aproveitamento das capacidades dos técnicos que trabalham nesta área.

Para importação e exportação destas células, como resposta a esta necessidade social, requere-se a criação de medidas e autorizações prévias dadas pela autoridade. Mas, segundo o presidente do CNPMA, Eurico Reis, uma das grandes dificuldades impostas para criação deste serviço público foi o financiamento.

Actualmente existe um banco de gametas na Faculdade de Medicina do Porto, que funciona há 25 anos, e que já recolheu 980 amostras de esperma e 10 unidades tecido ovárico.